Tags

, , , , , , , , , , , , , , ,

Estou de mudança para uma nova cidade, preciso encontrar um apartamento, preciso de documentos que não tenho, preciso encaixotar minhas coisas (para desencaixotar tudo depois), preciso contratar pessoas, preciso vender meu carro, preciso sair do meu local de trabalho atual, preciso assumir no cargo novo, preciso ajudar minha esposa que mora em outra cidade com minha filhinha de um ano e três meses, preciso viajar várias vezes por semana, preciso fazer minha comida (estou de dieta especial por causa de minha saúde), preciso manter minha disciplina de recuperação (reuniões, leituras, exercícios…), preciso lavar minha roupa, preciso limpar minha casa, preciso de dinheiro, preciso, preciso, preciso. Tudo urgente. Tudo quase ao mesmo tempo. E como se não bastasse, perdi minha carteira sábado passado.

Há algumas 24 horas, acho que até conseguiria fazer grande parte dessas tarefas todas. Mas tudo mal feito. Tudo desconexo. Tudo sem lembrar direito como e quando fiz, e mesmo se fiz. Alcoólico na ativa quando depara com esse tipo de situação acha que consegue resolver tudo meio embriagado. Entre uma incumbência e outra, um trago ajuda a abastecer as ideias, a dar um pouco de alívio para aquele tormento todo. Mas no fim das contas, o dia acaba lá pelas 17h com um rol enorme de deveres deixados para trás e um corpo atirado em frente a uma tevê assistindo a um programa inútil que será esquecido horas mais tarde. E quando o novo dia raiar, será mais um doloroso despertar. Novamente aquela angústia desesperadora esmagando cada célula do corpo. Mais uma vez aquela ressaca moral espremendo a alma. E mais um dia pesado, muito pesado, por começar.

Mas graças a meu Poder Superior, graças a meu despertar espiritual, graças à minha sobriedade, graças a Alcoólicos Anônimos e muitos companheiros de caminhada que me mostram que uma nova vida é possível, vivo com todos esses afazeres, mas os enfrento com coragem, fé e de forma leve. Juro. Atualmente, acordo quase sempre cinco minutos antes do despertador. Nem acredito como consigo abrir meus olhos para um novo dia e ver esperança tendo a certeza de que meu dia será de boas realizações. Aprendi a comemorar os pequenos progressos da mesma forma que os grandes feitos ou melhores conquistas. Para isso peço várias vezes ao dia para que o Poder Superior me conceda boa vontade e mente aberta, duas das principais ferramentas espirituais que todo o alcoólico deve usar a todo o momento.

Fazer o quê. A vida é assim mesmo. Pior é se apavorar. Pior é fazer tudo sem planejamento. Pior é achar que se está sozinho. Pior é achar que nada vai dar certo. Pior é achar que é impossível. E pior mesmo é fazer (ou tentar fazer) tudo bebendo. Decidi enfrentar as coisas da vida como se fossem aventuras. Está sendo legal. Uma escalada aqui, um rafting ali, uma pedalada acolá. E as coisas vão se acomodando. É impressionante como a cada tarefa cumprida o bem-estar aumenta. Claro. É um afazer a menos, um conforto a mais, um aconchego, uma satisfação… e tem a tal de endorfina que dizem que é liberada também nesses casos. Decidi viver mais tranquilo. Decidi colocar alegria e vigor em meu cotidiano. E volto a dizer: está dando certo.

Anúncios