Tags

, , , , , , , , ,

Retroalimentação. Em uma palavra, acredito que seja isso que esteja ocorrendo agora em minha vida. Por 184 dias experimentei um ponto de equilíbrio que parecia mais estável a cada 24 horas. Até escrevi sobre a maravilha e o perigo de se chegar a esse estado. Escrevi, mas incoerentemente não segui o meu discurso e caí. Levantei e cá estamos de novo. Demorou um pouco, mas novamente estou me sentindo estável… e bem, bem mais prudente.

Voltando à retroalimentação, utilizando seu conceito no âmbito da comunicação, significa simplesmente “o retorno de informações do efeito para a causa de um fenômeno” (1). Traduzindo: depois de uma queda, os textos que eu mesmo escrevi estão me ajudando a voltar ao ponto de equilíbrio. Só que esse processo não é considerado nada simples tanto na teoria da comunicação quanto em suas aplicações no estudo da psicologia.

A retroalimentação pode ser positiva ou negativa. A primeira traz mais informações do que se havia gerado, a segunda apenas incita um pensar mais profundo e produtivo. De acordo com a psicologia, “a primeira leva à perda da estabilidade e à mudança, a segunda caracteriza a homeostase (estabilidade) e desempenha um importante papel para a manutenção do equilíbrio” (2).

Pois bem, estou experimentando as duas coisas. Alguns dos textos que escrevi neste blog me trazem coisas novas, fazem pensar diferente e, como diz no conceito, promover algumas mudanças para uma paz mais segura e duradoura. Outros apenas me lembram da boa sensação de viver pacificamente e me certificam do equilíbrio.

De uma certa forma que parece absurda, eu não estava preparado para viver em paz. Conheci o lado bom da vida equilibrada, mas ainda não estava preparado para conviver. Não havia harmonia entre o meu querer e aquele novo mundo que apareceu repentinamente em um despertar. Hoje (falo do dia de hoje mesmo) entrei em equilíbrio novamente. Por isso decidi que podia voltar a escrever. E hoje encaixou em minha mente a ideia de que o equilíbrio não é tudo no tocante à vida em paz para um alcoólico. É preciso a busca da harmonia, a vara que nos ajuda a atravessar as cordas bambas da vida.

Hoje se inicia uma nova busca. Desta vez mais tranquila e, por que não, madura. E, quem diria, em uma interessante retroalimentação.


1. Wikipedia.org – Retroalimentação
2. ADE Psicologia – Dependência química