Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Este não é um site religioso, embora, assim como a irmandade de Alcoólicos Anônimos (AA), o espiritual é levado em conta… mais: é tido como fundamental para a recuperação do alcoolismo e da dependência química a outras drogas. Pois bem, feita essa ressalva, passo a comentar que, dia desses, ouvi uma pregação do frei Elias Vella. Nascido na ilha de Malta, pregou em inglês. E isso fez toda a diferença, pois a simplicidade das palavras e dos tempos verbais são incomparavelmente mais fáceis de se entender do que o empolamento dado à Palavra pela igreja católica em português. Bom, mais uma ressalva feita, segue uma frase que me trouxe um sentido especial à adoração a Deus (da forma que o concebemos). Disse o frei:

“Quando louvamos a Deus, mudamos nós a Deus, e não Deus a nós”.

Sei que isso não é novo. Muitos já ouvimos que devemos prestar muita atenção quando oramos “seja feita a Tua vontade” (por consequência, não a nossa). Mas o que aquele senhor disse foi de certa forma mais profundo. Ainda não sei se pela imposição da voz, ou pela espiritualidade que pairava no ginásio lotado, mas fez ainda mais sentido quando ele, em sequência, lembrou uma fala de Jesus: “Venham a mim os que estão cansados e eu os aliviarei”. E quantas vezes temos repetido uns para os outros, para nossas famílias, para nossos empregadores, para nossos amigos e em reuniões de AA aquela curta frase, geralmente precedida de um suspiro: “estou cansado!”.

E poucos conseguem entender esse cansaço que sentimos. Não é fadiga, não é tristeza ou melancolia… é cansaço. Uma sensação de que, por mais que façamos, ainda não conseguimos estabilizar nossas vidas como queremos. Sim, há um pouco de expectativa exagerada em alguns casos, mas não na maioria. De certa forma, acredito que todos nós alcoólicos estaremos cansados, a não ser que tomemos as providências que os 12 Passos nos propõem. E qual a tônica da grande maioria dos Passos? A espiritualidade! Seja ela qual for.

E é então que lembro de outro mote exaltado pelo frei Elias. “Sei, em minha mente, que Deus me ama, mas não sinto isso em meu coração. Sinto-me só”. E agora acredito que é exatamente essa solidão que nos faz viver cansados. Queremos estar vivos. Mas para isso (nossos 12 Passos também nos dizem), precisamos viver a espiritualidade. Precisamos estar de fato preparados para darmos diariamente os três primeiros passos. Admitir que nossas vidas são ingovernáveis por nós mesmos (mas por um Poder Superior), acreditar que esse Poder existe e entregar não só nossas vidas, mas nossa vontade em suas mãos, pois a vontade Dele é que vivamos felizes.

Para isso, volto a lembrar da frase dita no início deste texto: “Quando louvamos a Deus, mudamos nós a Deus, e não Deus a nós”. Tenhamos, portanto, coragem de nos entregar, serenidade para aguardar o tempo certo das coisas e mente aberta para aceitarmos a espiritualidade.


Saiba mais sobre Frei Elias Vella

Anúncios