Tags

, , , , , , , , , ,

Ouvi uma estória impressionante. Um sábio senhor me contou sobre um peixinho que queria encontrar o mar. A grande expectativa desse pequenino era encontrar o mar, nadar no mar, conhecer as maravilhas do oceano, do grande oceano, do imenso oceano que sempre ouvira falar. Segundo o homem me contou, era um peixinho agitado, de certa forma impaciente. Nadava sempre bem rápido sem dar muita atenção às coisas do dia-a-dia, às coisas que passavam por ele cotidianamente. Estava focado em sua obsessão de chegar ao mar. De ver as maravilhas do mar, de viver, de sentir emoções, de curtir, de, quem sabe, pelo menos ser aceito nas águas do mar.

Nós alcoólicos parecemos muito com o tal peixinho da estória. Vivemos buscando alegrias e satisfações, muitas vezes pelo menos um sentido para nossas vidas… e raramente encontramos. Mas, voltando ao pequeno peixe, certo dia ele encontrou um peixe bem grande. Grande o suficiente para não se preocupar com a correria do peixinho. Intrigado, perguntou:

_ Por que nadas tão rápido, de um lado para outro, pareces procurar algo que perdeste?

_ Quero chegar ao oceano, quero conhecer o mar, quero viver as maravilhas desse mundo imenso que é o mar.

_ Mas… pequeno amigo, tu já estás no mar!

_ Como? Não é possível! O oceano é muito grande, é imenso, e só consigo ver poucos metros à frente.

_ Mas…

_ Desculpa-me, seu peixão, preciso continuar minha busca.

E foi assim que, depois de um certo tempo, o pequeno peixe morreu… no mar… sem nunca ter visto o mar.

Na maioria das vezes nos comportamos assim. Procuramos alegria no dinheiro, na boa saúde, no poder… no sucesso. Por falar nisso, já paramos para pensar por que tantas pessoas famosas cometem suicídio? Chegaram onde quiseram: ao sucesso. Porém, quando lá chegam, sentem-se no cume de uma montanha e que os únicos caminhos que ocorrem são para baixo.

Mas não precisamos viver assim. Basta descobrirmos o oceano no qual estamos nadando e sermos felizes com o que temos ao nosso redor. Basta percebemos o infinito que nos rodeia. Basta termos mente aberta para as oportunidades, para a vida feliz que podemos ter.

Assim espero que tanto eu como você consigamos perceber o oceano no qual vivemos e sermos felizes como somos e com o que temos, por enquanto.

Anúncios